Por que trabalhar?

  • 1
Essa é uma questão que deve passar na mente de muitas pessoas e a sua resposta (ou falta dela) é importantíssima para o que você deseja em curto, médio e longo prazo. Mas antes vou contar uma pequena história.

Como desempenhar mal seu trabalho

Nas duas última semanas passei por uma série de tarefas burocráticas. Eu precisava tirar alguns documentos e como todos sabem isso é certeza de muitas idas e vindas a diversos órgãos, bancos além de ligações e consultas ao google e conhecidos. Nos muitos lugares que visitei, nas muitas filas que dividi com outros que passavam pela mesma odisséia, encontrei diversos funcionários responsáveis por lidar com o público. Muitos mal humorados, de respostas curtas e grossas, outros calmos e prestativos. Dentre estes casos um fator me chamou a atenção e pode ser exibido na seguinte situação:

Em um dos órgãos que visitei, era necessário o agendamento de hora para atendimento com um bom tempo de antecedência. Eram 6h40 e eu estava na fila das 7h30. As 6h50 aparece uma pessoa responsável por realizar a primeira triagem. Esta se dirige a todos e diz em voz alta: "(...) e quem não tiver o novo formulário XXX-YYY preenchido não adianta nem entrar que não vai conseguir (...) e vocês tem até as 11h pra resolver isso (...)". O primeiro senhor da fila se dirigiu a ela e explicou que tal informação não estava no site quando ele agendou (um mês antes) e ela respondeu : "Isso já faz uma semana que está no site. Se o senhor quiser entrar pode entrar, mas vai perder seu tempo." depois de um pouco de discussão retrucou "Eu só estou obedecendo ordens.". O senhor, insatisfeito com o tratamento decidiu prosseguir e protestar.

Passadas mais duas triagens e 45 minutos depois o senhor chegou a mais uma atendente. Esta o recebeu e mais uma vez o questionou sobre o formulário XXX-YYY. O senhor mostrou sua queixa e seu ponto de vista. Prontamente a senhorita explicou calma e pausadamente que este novo procedimento era obrigatório e o próprio sistema não o permitia prosseguir. Ela o instruiu que o preenchimento do novo formulário era rápido e não demandava mais que 30 minutos. Ainda acrescentou ao senhor que se ele resolvesse esta questão antes das 11h seria prontamente atendido e não perderia mais do seu tempo. Satisfeito com a atenção e com a visão de uma solução o senhor prosseguiu a fim de resolver sua situação.

Por que eu faço o que eu faço?

Podemos ver que as duas pessoas que lidaram com aquele senhor passaram para ele a mesma informação. Porém, o resultado obtido foi bastante divergente. O que realmente diferenciou a ação de ambas foi que uma delas sabia o objetivo de seu trabalho ao passo que outra preferiu se "esconder" atrás de ordens.

Saber aonde você quer chegar com o seu trabalho é a chave para desempenhá-lo bem. E como podemos ver isto não é exclusividade dos trabalhadores do conhecimento. Sem saber aonde você tem que chegar e como seu trabalho afeta as pessoas relacionadas é quase impossível desempenhar um papel relevante. Sem objetivo tudo que sobra é a execução cega de um autômato humano durante a sua tarefa. Afinal, sem isto você não passa de uma peça em uma engrenagem ao melhor estilo "tempos modernos".

Encontrar o objetivo de nosso trabalho e de nossas atividades é o primeiro passo antes de tentar compreender como executá-las. Com isto, todo o resto se desenrola de maneira facilitada. Isto é válido, principalmente, quando se trata de trabalho em equipe. Em uma equipe é comum a divisão de tarefas, principalmente onde o trabalho de um depende do de outro.

Em uma equipe sem um objetivo comum claro, incorremos em uma situação de conflito de interesses. Cada um tem por objetivo cumprir apenas sua tarefa e prosseguir para a próxima. Quando esta afeta negativamente o trabalho do próximo, é muito mais complicado retornar àquela atividade (já que ela não é mais o objetivo). Já em uma equipe com um objetivo comum não existe tal conflito, afinal, todos os interesses convergem em um mesmo ponto. E assim todos tem uma maior liberdade de influir no trabalho geral, já que é claro como cada atividade colabora com aquele fim.

Meu trabalho e minha felicidade

Mas buscar o objetivo no seu trabalho tem um impacto ainda maior que garantir um bom resultado final. Isto garante a você uma maior satisfação naquilo que você faz. Quantas vezes você não desempenhou uma tarefa que achava desnecessária? Qual o ânimo você teria de levantar todos os dias da cama, ir ao trabalho, digitar por 8 longas horas um fonte que você nem sabe pra onde vai? Você trabalharia 6 meses em um projeto que ao final seria jogado no lixo? Qual empenho você desprenderia em atividades com estes cenários a vista? Com certeza seria mínimo.

Agora imagine você trabalhando em um projeto que gera retorno ao seu cliente. Trabalhar na confecção de um aparelho que vai inovar o mercado? Ensinar e mudar a vida de pessoas? Qual é seu ânimo agora? Saber onde você tem que chegar e como seu trabalho afeta as pessoas nos enche de expectativas e energias para aquela atividade.

Ganhar dinheiro é importante em um mundo capitalista. Mas ser feliz é começa a ser um fator importante em uma sociedade 2.0 . Muitas pessoas acordam de manhã e vão ao trabalho contando as horas para voltar para casa. Estas pessoas vendem 1/3 de sua felicidade por um preço. Muitas se escondem atrás de "ordens", "do sistema" e outras desculpas para não mudar o foco do seu trabalho. Mas se esquecem que todo trabalho tem uma razão, basta a cada um buscá-la. Achar tal objetivo é um fator multiplicativo de satisfação. Afinal quando uma pessoa realiza bem seu trabalho ela afeta positivamente não só a si mesma, mas a sua equipe, seus clientes (se for o caso), usuários. E isso produz uma imensa inércia benéfica a todas as partes.

Um comentário:

Jones Madruga disse...

Excelente texto! Muito bom mesmo...
Também passei por uma odisséia há pouco tempo e presenciei cenas parecidas e que ao meu ver só estão aumentando. E não é exclusividade do setor público.
Parece que todo mundo está "obedecendo ordens".
Se for assim, quem está dando às ordens?