Pular para o conteúdo principal

Let's Agile UP

Então finalmente eu fui pro lado Agile da força. Na verdade isso era inevitável, só faltava o impulso final para decolar. Mas antes, vale contar a história.

Em novembro do ano passado foi-me atribuída os cargos de Diretor de TI e Diretor de GQ (Garantia de Qualidade) dentro da Intacto. Abrindo um parêntese, para quem não sabe a Intacto é a empresa da qual faço parte e sou sócio fundador a mais de 3 anos. Por trás destes nomes pomposos estava embutida duas vontades da empresa: Primeiramente, formalizar e aprimorar o controle sobre o processo de desenvolvimento nas duas principais áreas da empresa (Fábrica de Sofware e TV Digital) e aumentar a qualidade dos produtos gerados pela empresa. Sob esta responsabilidade (juntamente com a liderança de um grande projeto que estava à meu encargo) tivemos o início da implantação de algumas políticas de controle dentro da empresa. Estas políticas foram benéficas e trouxeram um maior grau de controle para os líderes dos projetos, e uma maior visibilidade dos mesmos para toda a equipe. Juntamente tomamos medidas para a criação de uma base de conhecimento afim de consolidarmos as lições aprendidas nos projetos, bem como os treinamentos, cursos e workshops desenvolvidos dentro da empresa. Enfim, trabalhamos muito e tivemos um bom resultado.

Porém, nem tudo estava bem, desde sempre faltava algo. Todos sabíamos o que estávamos fazendo, os porquês, e agora tínhamos uma maior visibilidade disso. Mas faltava algo para unir tudo isso, e este algo nos foi interpretado pela formalização do nosso processo de desenvolvimento. Desde a fundação da empresa, devido a nossa formação acadêmica, temos seguido um processo bastante similar ao RUP, sempre foi uma intenção a formalização e documentação do nosso próprio processo. Porém devido a sermos uma equipe pequena e em contante evolução, nossos esforços acabavam por não tendo frutos junto aos documentos gerados. Bem, desde que foi lançado o OpenUP este me agradou bastante. Sua estrutura simples e leve, bastante focada em produtos rápidos me atraiu bastante. Acredito que esse foi meu primeiro passo efetivo dentro do mundo Agile.

Bem, desde o início deste ano a empresa se encontra em um bom ritmo de crescimento. Nossa equipe mais experiente se mantém, gerando bons resultados, os novos colaboradores foram se adaptando bem ao ambiente, e as ferramentas utilizadas se mostraram de grande valia. Porém neste cenário, agora mais maduros e com um esboço de processo em andamento, não nos é mais permitido adiar a formalização de nossas práticas. Então, à um mês me foi atribuída esta tarefa, minha primeira reação foi retomar meus estudos do OpenUP e juntar com o conhecimento que nos tinha sido gerado dentro da empresa. Até momento está indo muito bem estas definições, e minha crença é que teremos uma versão beta para ser apresentada a equipe no próximo mês e espero bons resultados.

Mas depois de tudo que foi dito, você se pergunta : "Onde diabos tem Agile nessa história ?". E aí que vem o complemento a tudo isso. No início desta última definição estava eu tentando fazer o que qualquer pessoa vidrada e sem noção da realidade faria ao começar a ler sobre processos. Me vi escrevendo checklists, modelos de documentos, e em pouco tempo me vi desanimado na tarefa que me foi dada. Não me parecia certo tudo o que estava fazendo, parecia que eu ia colocar pesos de chumbo no encalço de uma equipe que sempre respondeu satisfatoriamente. Já faz um bom tempo que leio sobre Agile e processos de desenvolvimento em listas e blogs e nos últimos tempos o números de cases de sucesso vem aparecendo de forma crescente. Por causa destes cases tive uma certa afinidade com o Scrum. E como dito anteriormente só me faltava um estalo para que toda essa sopa de informação começasse a fazer sentido. Este estalo acabou me vindo com o post do Guilherme Chapiewski veio a inspiração que faltava. Desta inspiração me surgiu 2 vontades: Primeiro em finalizar uma versão light do nosso processo, formalizando o que fazemos hoje e aprimorando o já é feito. E em segundo que eu queria experimentar o Scrum na empresa.
Para a primeira vontade foi fácil, fiz um post no grupo Agile-Brasil onde me foram dadas as dicas para juntar o OpenUP e o Scrum. E para a segunda vontade basta aguardar um pouco. Atualmente me encontro no fim de um projeto e iminência de alguns novos, por tanto tenho tempo de estudar, me preparar um pouco melhor e preparar minha equipe para colocarmos o Scrum em prática no próximo projeto. Minha idéia é fazê-lo por partes, primeiro tentarei estabelecer o conceito de Sprint e de Daily Meeting. Vamos com calma para que todos possam ir engolindo em pequenas doses, e assim possamos apertar nossos parafusos com o tempo.

Bem é isso, post grande e bem próximo do anterior (essa nem eu esperava). Mas tem sido dias de bastante animação. Quando as coisas funcionam e parecem estar nos eixos, nossas espectativas sobem e nos enchem de esperanças e vontade de trabalhar.
E é por isso que digo :

"Let's Agile UP"

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Suporte para Celular

É engraçado de se pensar que, em 3,5 anos de blog, o post mais acessado do site é o sobre o Suporte para Notebook. Sozinho ele tem quase 3 vezes mais acesso que o segundo colocado. Até hoje eu não sei dizer o por que deste efeito. Apesar disto me orgulho bastante daquele post, afinal além de ter superado minha falta de coordenação motora, ainda cheguei num resultado satisfatório. Já se passaram 2 anos e ambos os suportes se mostram em perfeito estado até hoje.

Pois bem, mas por que ressuscitar este assunto? Na Intacto temos um amigo oculto um pouco diferente, onde cada um tem que fazer seu presente, usando o máximo a sua criatividade. Como eu tirei o Fernando Aguiar, um cara fã de software livre (isso temos em comum). Por isso decidi tentar uma evolução do projeto inicial do Suporte de Notebook (que é aberto e disponível a todos) que elaborei junto ao Marcelo Bassani. Nesta segunda versão usei o Papel Pluma, que apesar de seu valor bem acima que o Paraná (usado anteriormente) resultou…

Aceleração de Startups - Parte 4 - Como melhor aproveitar uma aceleração?

Hoje eu fecho essa série de posts sobre aceleração. Já contei sobre o que é uma aceleradora de estágio semente, onde ela se encaixa no ecossistema e como ela pode te ajudar. Se depois disso tudo, você tenha decidido seguir esse caminho, faltou uma coisa: o que você deve fazer para tirar o maior proveito desse momento. E é isso que vou tentar fazer hoje.

Antes de Aplicar Entenda o momento da empresa Antes de aplicar para um programa, reflita bem sobre o momento. O propósito de um programa de aceleração té auxiliar a empresa a "saltar" para seu próximo estágio. Para fazer isso, é importante entender bem onde se está agora. Isso vai te auxiliar a mirar onde se deseja estar no futuro. Ter noção desses marcos é de grande valia para estabelecer pontos de referência em medir a evolução ao longo do caminho. É imensa a probabilidade que as coisas irão mudar, mas ter esses lugares para se olhar e comparar pode ajudar a direcionar o navio em momentos bons e ruins.

Existem também algun…

Aceleração de Startups - Parte 1 - O que é uma aceleradora?

Costumo dizer que eu já participei de mais programas de aceleração que o aconselhado. Contando com 2018, completei a marca de 5 dessas experiências e acho que já passou da hora de colocar em texto um pouquinho do que vivenciei.

Se você não sabe o que é uma aceleradora de startups, vale muito ler este texto do Tony. Aqui vou focar nos critérios do GAN (Global Accelerator Network) do que é um programa de aceleração.

Termos favoráveis aos Empreendedores Programa de Curto Prazo Orientado a Mentoria Pequenos grupos de trabalho* Oferece espaço físico* Time forte de gestão
Termos favoráveis aos Empreendedores Uma aceleradora tem por propósito ajudar que as startups consigam ganhar corpo em um tempo extremamente reduzido. Daí o termo acelerar. É um extremo contrasenso que ela canibalize as quotas da empresa em um estágio tão crucial. Favorecer os empreendedores é chave não apenas para fomentar que estes corram com o máximo de energia nessa etapa, mas também que tenham fôlego nas etapas futuras para…