Pular para o conteúdo principal

Primeirão

Então,

Não sei se terei leitores. Da mesma forma não sei se este blog alcançará seus objetivos. Mas depois de muito tempo lendo o que existe na blogosfera e participando de algumas listas, decidi divulgar algo que sei, ou que acho que sei, ou de que nada sei.
Primeiro vamos aos motivos deste blog. Bem, a idéia me surgiu pois leio bastante sobre diversas áreas do desenvolvimento de software (Gerência de Projetos, Testes, Análise de Requisitos, Java, Ruby, etc) , do conhecimento e das artes (Tecnologia, Ciência, Cinema, Animação Japonesa, etc) e do meio acadêmico (Computação, Algorítimos, Redes, Computação Ubíqüa, etc). Bem dentro de tudo isso, eu participo de diversos grupos de discussão, no mestrado participo de um bom grupo de pesquisa, na minha empresa tenho canal aberto de comunicação com todos os setores, ainda organizo eventos de animação japonesa.
Bem, dentro de todo esse ambiente onde o conhecimento flui, as vezes é bom consolidarmos as idéias de maneira escrita. Essa é uma das minhas maiores dificuldades. Por hora escrevo mal. Portanto, aí está o objetivo número 1:
  • Objetivo Número 1 : "Expressar melhor as idéias, em especial de forma escrita"
Afinal, quem é GP tem que se comunicar, e normalmente isso será feito de maneira escrita. Melhorar este ponto fraco será de grande valia.
Outro ponto fraco é minha capacidade de produzir conhecimento. Temos na empresa implementada uma filosofia, e uma política associada, de transferência de conhecimento entre todos os membros do nosso corpo de colaboradores. Hora, a gente estuda, lê e vivencia tanto que acaba que não dá valor pra isso. Portanto, passar isso pra frente é o objetivo número 2 :
  • Objetivo Número 2 : "Transferir o conhecimento adquirido, e obter o feedback do mesmo, aprimorando assim o que se sabe, ou se acha que sabe"
Afinal, a gente não sabe tudo, escrever aqui o que sei, obter o feedback de eventuais leitores para corrigir os erros, e aprender mais sobre os assuntos expressados.
Este feedback nos leva a construção do próximo objetivo :
  • Objetivo Número 3 : "Expressar idéias acerca dos assuntos de interesse, e obter as idéias de outros"
Por diversas vezes tenho idéias que quero expressar sobre determinados assuntos, e por estas idéias não caberem em um lugar formal (como uma base de conhecimento ou um grupo de pesquisa). Agora terei um espaço pra poder expressar estas idéias.
Por último, algumas destas idéias eu quero que dêem sucesso, quero que as pessoas as conheçam e que opinem, ajudem. E assim leva ao último objetivo do blog :
  • Objetivo Número 4 : "Divulgar os projetos pessoais e obter o feedback acerca destes".
Bem, acredito que seja isso. São muitos objetivos para apenas um blog. Talvez a falta de foco atrapalhe, mas como uma primeira experiência, espero que traga um crescimento e que alguns destes objetivos sejam alcançados.

Grato a quem ler

Postagens mais visitadas deste blog

A experiência de software

Hoje em dia está muito em voga se falar sobre o desenvolvimento de produtos e serviços de software. Sendo assim as iniciativas e startups estão alta. Mas para quem está no mercado de Brasília (e de alguns outros centros do país) como eu, sabe que a prestação de serviços nas famigeradas "Software Houses" ( me recuso a chamar de Fábricas de Software ) é bem comum. Porém, este trabalho costuma ser renegado ou, como eu vejo, tratado sob um ponto de vista um pouco equivocado. Uma fábrica de software artesanal Onde se enganam tais pessoas é em que elas estão vendendo. Muitas empresas acreditam, de fato, que vendem software. Eu porém digo que isso é não de todo verdade. Se você é um prestador de serviços e constrói software sob demanda, você não vende apenas o software. Aqui não me refiro aos milhões de outros "artefatos" que são empurrados goela abaixo entregues aos nossos clientes. O que vejo é que vendemos algo que não está limitado ao software que vai pra mão (ou se

TDD como ferramenta de aprendizado

Na penúltima sessão do DojoBrasilia surgiu a seguinte questão: Será que o TDD não atrapalha no aprendizado de novas tecnologias?  A grande questão girava em torno de que o respeito estrito as regras ao TDD tornariam o aprendizado lento e enviesado. Isso por que você estaria focado em passar o teste o que estaria limitando sua velocidade no aprendizado na tecnologia, bem como a visão do objetivo final. Caso do dojoBrasília No caso da sessão que levantou a questão acho que o principal sentimento de "lentidão" se deve a grande carga de tecnologias novas que estavam envolvidas. Escolhemos iniciar um problema conhecido em não uma, mas várias tecnologias ( Backbone.js , Undescore , CoffeeScript , Jasmine , etc). Ao final da sessão a sensação de pouco avanço era justificada pelo tempo gasto compreendendo as tecnologias em questão. A sessão seguinte não obteve o avanço que muitos esperavam. Mas nela podemos ver como o uso de TDD compensou. Tínhamos apenas 4 cas

Formando pessoas desenvolvedoras na bxblue

Eu sempre fui apaixonado por ensinar. Trabalho com a formação e ensino desde 2003, indo desde o ensino das bases de computação até lecionar em cursos de pós-graduação. Estar no dia-a-dia com pessoas que estão no começo da carreira é um mix de satisfação e desafio. Satisfação por você ter a oportunidade de contribuir com um pedacinho tão especial da história daquela que será uma pessoa desenvolvedora no futuro. Desafiadora pelo fato de precisarmos nos despir de aprendizados já superados em nossas mentes e nos esforçamos por enxergar novamente pelos olhos de quem ainda não tem a mesma vivência que você. Por onde passei, eu sempre acreditei que um bom equilíbrio entre profissionais experientes e em formação é a melhor combinação para um time de tecnologia. Isso é benéfico não apenas para a retenção, como também é estímulo para uma cultura de aprendizado e humildade. Cultura essa que favorece o compartilhamento e interação não apenas entre quem faz o software, mas também as demais áreas da