Pular para o conteúdo principal

EMMI : Email Manurity Model Ignorance


A língua escrita é algo maravilhoso e seu domínio parece ser de difícil alcance para muitos. Eu mesmo, iniciei este blog para ver se conseguia melhorar meu uso dessa ferramenta tão preciosa. Ainda me lembro que quando estava nos primeiros anos da escola, nas aulas de redação, nos ensinavam como escrever cartas (se lembram delas?). Hoje a evolução as transformou em emails. E com eles se manteve alguns hábitos bem como outros evoluíram. Um destes é o de assinar suas mensagens. Tais assinaturas tem padrões, formas e conteúdos dos mais diversos. Isso pode ser de grande valia bem como ser uma pedra de tropeço para outros. Dessa forma, proponho aqui um modelo de análise destas assinaturas (totalmente original e sem inspiração em nada já existente) para auxiliar as pessoas a escreverem suas assinaturas de email.

Nível 1:

Neste nível temos uma assinatura com bastante informação. São verdadeiros currículos constando de certificações, títulos, sites pessoais, o próprio email, telefone, endereço, nome do cachorro dentre outros. Já encontrei assinaturas deste nível em formato XML, o que já indica que mereciam um WebService próprio a elas.

Nível 2:

Aqui encontramos assinaturas menos obesas, demonstrando que a pessoa esta ciente que o destinatário pode usar outros meios de consultar a vida do emissor. O mais comun aqui é sabermos o nome completo, dados de contato, cargo e empresa. É uma forma de colocar o seu cartão corporativo na sua própria assinatura.

Nível 3:

Quem chega nesse nível já é um vencedor, ele sabe que a assintura é um mero formalizmo e quer apenas deixar marcada a sua presença. Por isso, coloca apenas seu nome, algum título bonito (como Engenheiro ou Empresário) e as vezes um link com mais informações. Ele acredita que isso fortalece a sua "marca pessoal"

Nível 4:

Este cara sabe que a assinatura não é local de networking. Ela é apenas uma forma de dizer que o email acabou, por isso basta uma expressão ("Atte", "Grato", ect) e seu nome (ou apelido) para fechar a mensagem.

Nível 5:

Aqui já estamos cientes que o destinatário sabe quem está mandando o email (e se não souber, nossa apresentação estaria no corpo da mensagem). Por isso, terminamos o email apenas com um agradecimento ("Grato") ou saudação ("Atenciosamente").

Observações:

Existem modificadores especiais para avaliar estes níveis (que não estão nas descrições dos mesmos).

Caso sua assinatura tenha citações (ex: "Pense na natureza antes de imprimir este email"), você desce um nível.

Caso sua assinatura tenha imagens, você desce um nível.

Caso você tenha a lista de suas redes sociais na sua assinatura, vá para o nível 1.

Caso você assine com seu apelido, suba um nível.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Suporte para NoteBook

Hoje em dia usar laptop é um hábito de muitos. Eu mesmo uso laptop diariamente desde 2005 e não tenho pretensões de usar um PC como ferramenta principal de trabalho tão cedo. A mobilidade a praticidade e principalmente a privacidade que o laptop te traz, foram fatores determinantes nesta minha escolha. Porém como já me foi alertado pela nan , o laptop tem sérios problemas ergonômicos. Temos que escolher entre ter a melhor postura para digitar ou a melhor postura para visualizar a tela, nunca ambos ao mesmo tempo. Fora isto, o teclado da maioria dos notebooks não é adequado para longas horas de digitação. Sobre o touchpad, nem se fala. Por isso já fazem mais de 6 meses que eu utilizo um suporte de notebook com um mouse e teclado usb quando estou na Intacto . Isso melhorou bastante a minha postura e tenho sentido bons resultados com a experiência. Hoje utilizo o Notepal S , mas ele tem a desvantagem de "esconder" os controle frontais do laptop, por isso, quem estiver interes

Precificação em Ponto de Função

Estou nessa de ponto de função a algum tempo. Não só participei de sua implantação, como hoje esta é a forma mais utilizada na Intacto para o controle de nossas métricas. Converso com muitos amigos, e muitos me questionam sobre algumas questões sobre pontos de função. A realidade é que sempre fui um cara de desenvolvimento, meu principal objetivo foi sempre transformar sonhos em código em execução. Utilizo a APF como forma de me auxiliar neste caminho, e discuto muito sobre ela com a minha equipe de forma que tenhamos transparência com relação a esta métrica. Em um de meus posts anteriores falei sobre como a utilização de APF pode ser traiçoeira. E hoje venho aqui pra falar mais uma vez destes perigos. No caso de hoje é sobre a homegeinização que o pessoal de negócios tende a trazer sobre esta ferramenta. Houve-se muito no mercado sobre os preços de PF que algumas empresas praticam. Estes preços são utilizados por muitos "homens de negócio" para questionar seus custos e

Suporte para Celular

É engraçado de se pensar que, em 3,5 anos de blog, o post mais acessado do site é o sobre o Suporte para Notebook . Sozinho ele tem quase 3 vezes mais acesso que o segundo colocado. Até hoje eu não sei dizer o por que deste efeito. Apesar disto me orgulho bastante daquele post, afinal além de ter superado minha falta de coordenação motora, ainda cheguei num resultado satisfatório. Já se passaram 2 anos e ambos os suportes se mostram em perfeito estado até hoje. Pois bem, mas por que ressuscitar este assunto? Na Intacto temos um amigo oculto um pouco diferente, onde cada um tem que fazer seu presente, usando o máximo a sua criatividade. Como eu tirei o Fernando Aguiar , um cara fã de software livre (isso temos em comum). Por isso decidi tentar uma evolução do projeto inicial do Suporte de Notebook (que é aberto e disponível a todos) que elaborei junto ao Marcelo Bassani . Nesta segunda versão usei o Papel Pluma, que apesar de seu valor bem acima que o Paraná (usado anteriormente) res