Pular para o conteúdo principal

Comunidade é bônus

A algumas semanas atrás meu amigo Coisa Estranha falou sobre a sua tristeza de ver algumas comunidades não florecerem. O comentário dele é um complemento ao que o Henrique Bastosdisse certa vez sobre o mesmo assunto. Eu queria colocar um pouquinho da minha opinião sobre o assunto.

Acho que qualquer pessoa que tenha caído neste texto vai concordar que as comunidades são, em sua maioria benéficas. Considero como auto-evidente que elas trazem grande crescimento e força para quem faz parte e colabora com o ecossistema. Afinal, se uma comunidade não lhe faz bem, você está sempre livre para deixá-la.

Independente dos benefícios, as comunidades tem objetivos. Muitas vezes eles não são claros, outras vezes são bem estabelecidos. Mas o fato é que eles são o resultado dos objetivos pessoais de cada um que faz parte da comunidade. Estes podem ser distintos, mas para que o conceito de grupo exista, devem convergir.

É nesse ponto que eu vejo muitos sentirem-se desanimados com "suas comunidades". Muitos começam com objetivos de aprendizado e crescimento. Mas com o tempo, eles transferem estes objetivos aos demais. Isso acontece muito com quem toma a frente destes grupos. Mas ao meu ver, a maior causa é quando os objetivos param de convergir.


Vou contar sobre algo que aconteceu no #dojoBrasilia. Por muito tempo tivemos um grupo bem forte que se encontrava com bastante frequencia. Mas existiram períodos em que, quando nenhum dos caras mais frequentes tomava a frente, não ocorria os dojos. Víamos diversas mensagens na lista de emails, mas nenhuma ação no mundo real. Isso me faz repensar o meu obejtivo do dojo.

Foi dessa experiência que eu tirei uma boa lição. No caso do dojo, meu principal objetivo era codificar com a galera. Mas quando eu vi que isso podia não ocorrer, mudei meu objetivo. Hoje, eu vou disposto a ter 2h da minha semana gastos em brincar com código. Caso tenha mais gente, ótimo. Senão, terei uma boa experiência do mesmo jeito.

Dessa forma, a comunidade é um grande bônus, mas nunca uma vulnerabilidade.




Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Suporte para NoteBook

Hoje em dia usar laptop é um hábito de muitos. Eu mesmo uso laptop diariamente desde 2005 e não tenho pretensões de usar um PC como ferramenta principal de trabalho tão cedo. A mobilidade a praticidade e principalmente a privacidade que o laptop te traz, foram fatores determinantes nesta minha escolha. Porém como já me foi alertado pela nan , o laptop tem sérios problemas ergonômicos. Temos que escolher entre ter a melhor postura para digitar ou a melhor postura para visualizar a tela, nunca ambos ao mesmo tempo. Fora isto, o teclado da maioria dos notebooks não é adequado para longas horas de digitação. Sobre o touchpad, nem se fala. Por isso já fazem mais de 6 meses que eu utilizo um suporte de notebook com um mouse e teclado usb quando estou na Intacto . Isso melhorou bastante a minha postura e tenho sentido bons resultados com a experiência. Hoje utilizo o Notepal S , mas ele tem a desvantagem de "esconder" os controle frontais do laptop, por isso, quem estiver interes

De Híbrido a 100% remoto - o caso da bxblue

A bx nasceu como uma empresa remota. Durante os primeiros 18 meses, os três fundadores --  eu, Guga e Roberto -- trabalhamos de nossas casas. Passado esse período inicial de maturação da idéia, nosso time começou a crescer, e acabamos optando por seguir um modelo híbrido. Nele tecnologia e marketing permaneceram remotos porém nosso time de atendimento e vendas ficou atrelado ao nosso escritório. Mas, como em muitas outras empresa, isso mudou nas últimas três semanas. Depois de tantos anos, nos tornamos uma empresa 100% remota. O O grande incentivo veio da situação que vivemos no mundo atualmente. Tendo o isolamento social como uma medida necessária a todos que tem o privilégio de poder fazê-lo, era nossa responsabilidade fazer tal mudança. Pois minha intenção aqui é contar um pouco tem sido essas 3 semanas que marcam o começo de um período que a ainda tem muito pela frente. Porque Híbrido? Antes, deixe-me explicar por que escolhemos o caminho de ser uma empresa híbrida, tendo na

Aceleração de Startups - Parte 2 - Como é o ecossistema ?

Continuando a série sobre aceleradoras, onde na primeira parte  eu falei sobre o que é uma. Hoje vou contar um pouco de como é o ecossistema que a rodeia. Vale ressaltar que o tipo de aceleradora descrita seria melhor definida como sendo uma aceleradora de estágio semente ( seed stage accelerator ) e desempenha um papel bem específico nos "degraus" da escalada empreendedora. Uma das formas visuais mais interessantes de desenhar este caminho é a feita pela Techstars para explicar ela participa nos mais diversos estágios do ecossistema. Jornada empreendedora de acordo com a Techstars. Usando esse desenho como base, vou tentar delinear como alguns elementos se encaixam nesse ecossistema. Vale ressaltar que essa não é uma relação exaustiva, novos tipos de intervenções são criadas a todo momento, antigas caem em desuso mostrando sua constante evolução e adpatação. Aprendizado No nível de aprendizado, o foco está em fomentar o empreendedorismo e a ensinar o básico de al